André Lanskoy

1902—1976

 

 

Nasceu em Moscovo, em 1902, filho do conde de Lanskoy. Foi aluno da escola “des Pages”, em S. Petersburgo e, ao tempo da Revolução Bolchevique, servia no exército do Czar.

 

Começou a pintar em Kiev, aproveitando os conselhos de Serguei Soudéikine, pintor da moda.

 

Em 1921, chega a Paris, onde frequenta a academia da “Grande Chaumière”. Descobre a obra de Van Gohg e Matisse. Junta-se a outros expatriados russos, nomeadamente, Lariolov e Soutine, de quem sofre influência, em particular, nas figuras e naturezas mortas, de cariz expressionista.

 

“As suas primeiras pinturas, cenas de interior, naturezas mortas, retratos, caracterizavam-se por um desenho populista de cores alegres, ainda, tipicamente eslavas (…) Nos guaches de 39, libertava já a cor da sua função imitativa, em proveito, das suas capacidades de expressão imediata. No entanto, não foi senão depois dos anos de guerra, que a abstracção da forma (frente) à realidade, vence, no conjunto da sua obra. Da arte popular russa e do cerimonial religioso conservou a predominância da cor sobre a forma.(…) sempre recusou o dualismo maniqueísta (…): Figuração/ Abstracção, afirmando a unidade de natureza, entre a pintura figurativa e a pintura abstracta “ E. Benezit, in Dictionnaire des Peintres, Sculpteurs, Dessinateurs et Graveurs.

 

Expôs pela 1ª vez em Paris, (1923) e desde aí, por toda a Europa e E.U.A.

 

Foi pintor de óleos e guaches, desenhador, ilustrador e realizou cartões para Tapeçaria, num registo abstracto e lírico.

 

Morreu em 1976, em Paris.

 

Lanskoy, André (1902-1976). In V Art [Em linha]. [Consult. 2019-08-14].
Disponível na www: <URL: http://vart.pt/lanskoy-andre/>.
Vera Lúcia