Armando Alves

1935-

 

Armando José Ruivo Alves nasceu em Estremoz, em 1935.

Em Lisboa, fez o Curso de Preparação às Belas Artes, na Escola de Artes Decorativas António Arroio, e, no Porto, frequentou o curso de Pintura na Escola Superior de Belas Artes, que terminou em 1962, com a classificação de vinte valores.

Após a conclusão da licenciatura foi nomeado Professor Assistente, na ESBAP, onde introduziu o estudo das Artes Gráficas.

Em 1964 realizou uma viagem de estudo a Londres, enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, e começou a expor individualmente. No ano seguinte fez novas viagens de estudo, desta vez a Espanha e a França.

Com os colegas Ângelo de Sousa, José Rodrigues e Jorge Pinheiro formou o grupo "Os Quatro Vintes", em 1968, com o qual veio a expor no Porto, em Lisboa e em Paris, durante os anos 60 e 70. Naquele ano, começou, também, a dedicar-se a fundo às Artes Gráficas, área que ajudou a modernizar e a revalorizar.

Nesta actividade, esteve profissionalmente ligado a três editoras - à Editorial Inova, em 1968; à Editorial Limiar, em 1975, e à Editorial Oiro do Dia, em 1980. Dirigiu graficamente obras literárias (antologias de versos e prosa, livros infantis e colecções) e produziu cartazes e posteres, comemorativos e publicitários, catálogos de exposições e programas de concertos e de actividades desportivas.

Em 1973 deixou a ESBAP para se dedicar inteiramente às Artes Gráficas. Entre os seus inúmeros trabalhos neste domínio podem destacar-se, entre outros: o cartaz e os cenários da peça Lux in Tenebris, baseada num texto de Bertolt Brecht, encenada por Pere Planella e levada à cena pelo Seiva Trupe, no Porto (1975); a organização da exposição dos 30 anos de Eugénio de Andrade, na Fundação Engenheiro António de Almeida, no Porto, e a edição do catálogo da exposição (1976); a direcção da exposição e a organização do catálogo da Semana de Colóquios e Cinema dedicada à obra de Vergílio Ferreira, realizada no Ateneu Comercial do Porto (1977); a realização da exposição O Pintor e a Cidade (aguarelas de António Cruz sobre o Porto e outros lugares, na Casa do Infante), e a direcção gráfica de um álbum com o mesmo título.

É um dos fundadores da Cooperativa Árvore e um dos intervenientes, desde a sua criação, do Lugar do Desenho - Fundação Júlio Resende, no âmbito da qual participou, entre 1997 e 1999, em exposições no Brasil, no Chile, em Cabo Verde e em Moçambique (Maputo).

Este notável ilustrador, artista gráfico, desenhador e pintor (que evoluiu do neorealismo para o abstraccionismo), está representado em colecções do Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, da BCG, em Lisboa, e da Câmara Municipal de Matosinhos. Ao longo da sua carreira alcançou importantes prémios e distinções, como o primeiro prémio na Mostra de Artes Gráficas Grafiporto 83, no Museu Nacional de Soares dos Reis, e o grau de Grande Oficial da Ordem do Mérito, concedido pelo Presidente da República, Cavaco Silva, nas comemorações do 10 de Junho de 2006, decorridas na Alfândega do Porto.

 

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto - Armando Alves. In UP - Universidade do Porto [Consult. 2013-10-22].
Disponível na www: <URL: http://sigarra.up.pt/up/pt/web_base.gera_pagina?P_pagina=1001299>.
Vera Lúcia