Bengt Lindström

1925—2008

 

 

Nasceu na Suécia, (Storjokapell), em 1925. Em 44, tem aulas, na escola de Arte de Estocolmo, com Isaac Grunwald, antigo aluno de Matisse. Em 1945,frequenta as Belas Artes em Copenhague e entre 46/47, o Instituto de Arte de Chicago, até se fixar, em 47, em Paris, onde trabalha nos ateliers de Fernand Léger e André Lhote.

 

Por volta de 53, relaciona-se com Bogart, Marfaing, Pouget e mais tarde com Cobra Asger Jorn de quem receberá influências.

 

“Tendo descoberto em 1946, as gravuras de Chagall e os primeiros Papas de Bacon realiza as sua primeiras litografias : Méditation et le Modèle étendu , técnica que retomará dez anos mais tarde. Depois do seu período abstracto/orgânico, dos anos 50, volta à figuração (…) inspirada na mitologia do Grande Norte. (…) em obras de grandes dimensões, com tintas espessas e cores violentas (vermelho, verde, amarelo), a partir directamente do tubo, encontra uma síntese entre a abstracção informal e o expressionismo nórdico…” E.Benezit, in Dictionnaire des Peintres, Sculpteurs, Dessinateurs et Graveurs.

 

Desde 1951, que participou em inúmeras exposições pela Europa , E.U.A., Japão e América do Sul.

 

Durante muitos anos, viveu entre a França, no inverno, e a Suécia, no verão.

 

Morreu em 2008, na Suécia, (Njurunda).

 

Lindstrom, Bengt (1925-2008). In V Art [Em linha]. [Consult. 2019-08-14].
Disponível na www: <URL: http://vart.pt/lindstrom-bengt/>.
Vera Lúcia