Carlos Lança

1937-2009

 

Nasceu em Lisboa, em 1937. Começou a trabalhar em Lisboa, em 60, e a partir de 76, passou a viver no Porto, onde tinha, o seu atelier.

 

Colaborou com Emérico Nunes e com o arquitecto Conceição e Silva.

 

Em 66 e 67, foi bolseiro da Fundação Gulbenkian, em Lisboa e Paris. Mais tarde, em 1969/70, esteve em Nova Iorque, com o patrocínio da Hofstra University.

 

“Pintor abstractizante de feição geométrica”como refere Fernando Pamplona no seu Dicionário de Pintores e Escultores, ou, como escreve José Luís Caramulo, a propósito da sua obra : ” As rotas e trajectórias onde, navegante solitário, ele mapeia, anota, regista e ensaia as suas viagens cósmicas, propõem constantes interrogações …(subscrevo),o esplêndido e muito sintético texto de 1997,(onde), após referir-se ao uso que o autor faz «da geometria pura, sagrada e simbólica», … José Troufa Real não se coibiu de salientar algo que remete para o perfil gregário e generoso, porventura, pouco enfatizado, na sua biografia; «A força do seu combate leva-o a defender a causa de todos os artistas.» [...] «Carlos Lança é uma referência na Terra dos Homens, pela sua Arte, pelo seu combate...».” J.L.Caramulo, em 2006, quando da Exposição de Lança, em Coimbra, na Galeria Minerva.

 

Largamente representado em museus nacionais e estrangeiros, Carlos Lança desenvolveu a sua obra na pintura, no mural, cerâmica, tapeçaria e escultura.

 

Morreu no Porto, em 2009, depois de uma viagem a África, realizada, ao abrigo de programas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (C.P.L.P.).

 

Artista: LANÇA, CARLOS | Dados biográficos. In V ART [Em linha]. [Consult. 2017-02-01].
Disponível na www: <URL: http://vart.pt/lanca-carlos/>.
Vera Lúcia