Julião Sarmento

1948-

 

Pintor português, formado em Pintura pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (1974-1976), Julião Sarmento nasceu em 1948, em Lisboa, e começou a sua carreira durante a década de 70, optando então pela figuração: de entre as suas primeiras obras sobressaem pinturas que representam animais exóticos, enquadrados de uma forma que já fragmentava a figura pintada. A primeira exposição individual ocorreu na Sociedade Nacional de Belas-Artes. Foi influenciado inicialmente pela pop art na medida em que o meio de trabalho, para a pintura de Sarmento, ou eram imagens tiradas dos jornais ou a fotografia, que, por vezes, era tão importante quanto o filme. Isto é verdade mesmo nos casos em que uma fotografia transferida para a tela era utilizada apenas como um de muitos elementos compositivos.

Contudo, Sarmento soube preservar a sua identidade plástica determinante para se afirmar no contexto da pintura internacional. A obra de Sarmento viria a adquirir pleno sentido e entendimento durante a década de 1980, em que regressou à pintura, depois de uma fase mais marcada pela fotografia e pelo cinema. Para além das diversas fases por que passou, e das diferentes técnicas utilizadas - pintura, desenho, fotografia, vídeo, cinema, escultura - uma constante se identifica: o desejo. Esse desejo é, em primeiro lugar, o desejo de um corpo, forçosamente feminino, que se desenha incompletamente por sobre as superfícies texturadas a branco ou verde. Mas é também a fragmentação de imagens que surge nas obras dos anos de 1980 (como, por exemplo, Estratégias de Sobrevivência, de 1984, ou Mehr Licht, de 1985). A referência ao desejo não implica, necessariamente, na obra de Sarmento, a representação de figuras ou situações explicitamente sexuais. A partir do fim desta década, a sua pintura adquire fundos extremamente texturados. Sobre estes fundos, inscreve-se uma figura ou uma cena, ou ainda fragmentos de diversas figuras, sempre por completar, sempre com uma sugestão de contida violência que nunca é realizada: são as séries das Pinturas Brancas e Emma.

Sarmento tem conduzido uma carreira internacional a partir da sua residência em Sintra, foi o único representante de Portugal na 47.a Bienal de Veneza (1997), onde voltou a expor em 2001, e das suas exposições individuais salientam-se: Werke 1981-1996 (1997), Haus der Kunst, Munique; Fundamental Accuracy (1999), Hirshhorn Museum e Sculpture Garden, Washington D.C.; Flashback (1999), Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Palacio de Velázquez, Madrid; Something is Missing (2002), Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (com Atom Egoyan).

A sua obra está presente nas coleções do Museum of Modern Art e do Solomon R. Guggenheim Museum, Nova Iorque, do Hirshhorn Museum, Washington, do Centro Georges Pompidou, Paris, do Hara Museum of Contemporary Art, Tóquio, assim como da Staatsgalerie Moderner Kunst, Munique.

 

Julião Sarmento. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-10-22].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$juliao-sarmento>.
Vera Lúcia