Luís Demée

1929-

 

Luís Luciano Demée nasceu em Macau a 8 de Novembro de 1929. É filho de Clemente Demée e de Comba Morgado.

Na adolescência, entre 1944 e 1945, foi discípulo do seu mestre e amigo George Smirnoff (1903-1947), arquitecto e pintor de origem russa.

Em 1951 realizou a sua primeira exposição individual, que recebeu boas críticas, e participou em exposições do Hong Kong Art Club, em Macau.

No ano imediato obteve uma bolsa da Caixa Escolar de Macau, o que lhe permitiu matricular-se no curso de Pintura da Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Em 1953, pediu transferência para a Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde prosseguiu os estudos.

Durante os anos 50 participou na XX Missão Estética de Férias da Sociedade Nacional de Belas-Artes (1957), dirigida por Abel Viana e realizada em Viana do Castelo e integrou a selecção de pintura enviada à I Bienal de Paris (1959), onde recebeu uma bolsa de estudo da Federação dos Críticos de Arte de Paris. Quando concluiu o Curso Superior de Pintura mudou-se para Paris, enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Em 1960 apresentou a sua tese na ESBAP, tendo obtido a classificação de 20 valores (1960), com distinção e louvor. No ano seguinte, foi convidado a leccionar nesta escola, como Assistente.

Luís Demée fez diversas viagens de estudo ao estrangeiro: a Inglaterra, à Grécia, a Itália, à Alemanha, a França, à Bélgica e à Holanda e até ao Médio Oriente. A convite da Fundação Calouste Gulbenkian visitou, em 1964, a exposição "Pintura e Escultura de uma década", organizada pela Tate Gallery, em Londres, assim como a exposição "WESTKUNST", em Colónia (1981).

Numa primeira fase, desenhou edifícios e ruas, como o seu professor o instruíra, mas logo foi atraído pelo porto macaense e pelo mar. A partir de certa altura, a sua pintura foi-se tornando abstracta.

Luís Demée é autor de uma obra singular na arte europeia, bem patente nos seus acrílicos, aguarelas, pinturas murais a fresco, tapeçarias e serigrafias (a título de exemplo, registe-se que participou em edições de serigrafia da ESBAP, da Cooperativa Árvore e do Grupo Série).

Luís Demée continua a visitar Macau, nomeadamente para mostrar o seu trabalho, com o qual tem obtido resultados notáveis. Entre os finais de 2006 e meados de 2007 expôs no Museu de Arte de Macau 73 aguarelas e 16 esboços criados entre 1945 e 1958.

Para além destas exposições, o pintor participou em muitas outras ao longo da sua carreira, quer em Portugal (Porto, Lisboa, Amarante, Viana do Castelo, Matosinhos e Vila Nova de Cerveira), quer no estrangeiro (França, Espanha, Alemanha, Luxemburgo e Brasil).

Está representado no Centro de Arte Contemporânea, no Museu Nacional de Soares dos Reis e na Fundação de Serralves – Museu de Arte Contemporânea, no Porto; no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e no Centro Científico e Cultural de Macau – Ministério da Ciência e Tecnologia, em Lisboa; no Museu de Ovar; no Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso, em Amarante; no Museu Luís de Camões, em Macau; e em colecções particulares no país, no Brasil, em Inglaterra, na Alemanha e nos E.U.A..

 

Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto - Luís Demée. In UP - Universidade do Porto [Consult. 2013-10-22].
Disponível na www: <URL: http://sigarra.up.pt/up/pt/web_base.gera_pagina?P_pagina=1006618>.
Vera Lúcia